Terça, 26 de Outubro de 2021 00:07
61996377502
Notícias Data Comemorativa

Dia Nacional da Cachaça

História e curiosidades

13/09/2021 08h31
119
Por: Stéffany Santos
Fonte da Imagem: Pinterest
Fonte da Imagem: Pinterest

Limão &
Gelo &
Açúcar & 
Cachaça

A caipirinha é um dos drinks mais famosos do mundo, mas o dia hoje é todo dela, aquela que dá brilho à mistura: a Cachaça.

Segunda bebida mais consumida no país, só perdendo para a cerveja, a cachaça possui grande importância cultural, turística e econômica. O circuito produtivo e turístico da cachaça movimenta milhões de reais anualmente e concede emprego para diversas famílias.

Mas a história da cachaça não começou tão luxuosa. O destilado de cana-de-açúcar conhecido como cachaça, já enfrentou muito preconceito, principalmente por sua origem, possivelmente, um erro durante a produção de rapadura ainda lá em meados 1500. Por isso, a cachaça passou muito tempo considerada uma bebida para pobres e escravos.

Com o tempo, a cachaça foi ganhando espaço também entre os mais abastados, o que abalou o consumo do vinho português no Brasil, e por isso foi proibida pela Coroa diversas vezes. Uma dessas vezes, em 13 de setembro de 1661, a proibição deu origem à Revolta da Cachaça, quando os donos de plantações de cana-de-açúcar e alambiques tomaram o poder do Rio de Janeiro por 5 meses, resultando em um dos primeiros movimentos de insurreição nacional que fez da Cachaça um símbolo de resistência contra a dominação portuguesa. E é por conta desse feito que o Dia da Cachaça é comemorado em 13 de setembro. Em 2009, o Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC) instituiu o dia 13 de setembro como o Dia da Cachaça. No ano seguinte a data foi aprovada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados e passou a constar no calendário oficial.

A cachaça é um produto 100% nacional, mas é consumido em mais de 70 países, dentre eles, os que mais exportam são:

  • Paraguai (26,12%);
  • Alemanha (19,79%);
  • França (12,50%);
  • Estados Unidos (12,47%);
  • Portugal (4,55%)

Contudo, das, aproximadamente, 85 milhões de garrafas de cachaça produzidas por anos, apenas 1% é exportado. O restante é consumido aqui mesmo no Brasil.

Curiosidades

  1. De acordo com o Guinness Book, o maior barril de cachaça do mundo mora no Museu da Cachaça, localizado no IPark, em Maranguape – Ceará. Medindo oito metros de altura, o barril tem capacidade para 374 mil litros.

  2. No Brasil existem, aproximadamente, 4.000 marcas de cachaça que disputam o mercado brasileiro.

  3. Em 1996, a cachaça foi legitimada como produto tipicamente brasileiro, fazendo com que fossem estabelecidos critérios de fabricação e comercialização. Então, assim como o Sakê é do Japão, e a Tequila do México, a Cachaça é do Brasil!

  4. Quando alguém disser que bebeu uma ‘’cachaça de limão’’, ‘’cachaça de gengibre’’, ou ‘’cachaça de café’’ ou qualquer outro sabor, avise: Isso não existe. Segundo o Decreto nº 8.918 de 1994, cachaça é o mosto fermentado de cana e ponto final. O nome correto para esses tipos de bebidas saborizadas é aguardente composta. Qualquer bebida produzida a partir da destilação do mosto fermentado de cana-de-açúcar com teor alcoólico entre 38% e 54%, com ou sem adição de frutas ou caramelo, é considerada aguardente. Já a cachaça não pode passar de 48% de álcool e nem conter nenhum outro elemento.

  5. A propósito, não se sabe com certeza a origem do nome “cachaça”. Mas uma coisa é certa: existem mais de 700 sinônimos registrados. Você certamente conhece muitos deles, como água-que-passarinho-não-bebe, branquinha, engasga-gato, marvada, mé, pinga, tira-vergonha, e por aí vai.

  6. Caipirinha é o drink de cachaça conhecido mundialmente. Ele nasceu, pasmem, como remédio: no início do século 20, durante um surto de gripe, criaram a receita, que originalmente levava alho, mel, limão e, claro, ela, a cachaça.

  7. A cachaça já foi tratada como uma bebida apenas de baixo custo, mas hoje é possível encontrar também as versões premium – algumas delas envelhecidas por 18 anos em barris de carvalho, e uma delas com o inacreditável preço superior a R$ 200 mil (por causa dos sua embalagem, armada em prata e ouro e cravejada por 211 brilhantes, mais um diamante de 0,70 quilate incrustado no centro do rótulo).

Só que celebrar o dia da cachaça em plena segunda-feira pode parecer uma tarefa difícil. Mas como dizem por aí, cachaça é só para os fortes. Porém, não se esqueça da máxima: Se beber não dirija!

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias