Segunda, 25 de Outubro de 2021 22:43
61996377502
Notícias Saúde

“Não apelide as partes íntimas”

A campanha do Outubro Rosa da Lumas alerta que dar apelido às partes íntimas dificulta a descoberta de abusos sexuais contra crianças

07/10/2021 16h30
43
Por: Vítor Tobias
Créditos: divulgação/Lumas
Créditos: divulgação/Lumas

A campanha Outubro Rosa deste ano, de uma marca de roupas de Brasília, faz um apelo duplo: para que as mulheres façam o autoexame dos seios para diagnóstico precoce do câncer de mama e também para que “Não apelidem as partes íntimas”.

E o motivo não é brincadeira. É um assunto muito sério! Dar nome às partes íntimas dificulta a descoberta de abusos sexuais cometidos contra crianças.

“Recentemente uma professora fez um relato de que uma de suas alunas havia contado que, há pelo menos um ano, o padrasto brincava com o biscoito dela. De início, a professora não entendeu que aquela criança estava sendo abusada justamente pela genitália ter apelido. Por isso é tão importante esse alerta, sabe”, disse Fernanda Fernanda Sales, uma das criadoras da marca Lumas.

Já parou para pensar nisso?

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por L U M A S (@lumasfly)

No vídeo de 48 segundos, sete mulheres aparecem segurando objetos que representam os apelidos que os seios normalmente levam, como por exemplo: balões, limões, melões.

“Inventar apelidos para as partes íntimas é uma forma (i)moral de criar tabus, diminuindo o seu autocuidado. Você têm seios e não faróis, tomates, limões, mamões, melões, balões ou tábua”, explica Fernanda.

O projeto, roteiro e edição do vídeo da LUMAS contou com as parcerias: da fotógrafa Kakau Lossio, que fez as fotos (e também apareceu no vídeo), do salão Maria Coutinho, que fez cabelo e cedeu o espaço para produção e da maquiadora Aghata Maia.

O vídeo marca o lançamento das camisetas que terão todo o lucro das vendas revertido para projetos de prevenção do câncer de mama.

As camisetas, que estampam as frases “O amor da minha vida sou eu” e “Eu me toco”, estão disponíveis nas cores rosa e branca. O valor é de R$ 94 cada.

Conscientizar as mulheres

Fernanda Sales diz que ação quer mais do conscientizar as mulheres. A ideia é envolver toda a sociedade, já que o diagnóstico precoce oferece até 95% chance de cura.

Porém, apenas 46,2% das mulheres realizam o exame uma vez ao ano, e 27% nunca o fizeram.

“O segmento da Lumas é o protagonismo da mulher, tem empoderamento maior do que cuidar de si, do que se amar? Queremos conseguir despertar mulheres normais como a gente para se cuidarem e especialmente, engajar outras mulheres a se despertarem para o autocuidado”, disse Fernanda.

Anne Bonatto, sócia da Fernanda, lembra que muitas mulheres não tocam o próprio corpo por uma questão cultural.

“Condicionamos nossas mulheres a não sentirem prazer pelo próprio toque, isto impacta até mesmo na forma como as mulheres conhecem as mamas”, alertou.

E a hora do banho é o melhor momento para fazer o autoexame.

“A mulher se toca todos os dias ao tomar banho, por exemplo, por que não se percebe? Como não sente um nódulo? [Isto] É cuidarmos da nossa mente e especialmente da nossa saúde”, concluiu.

*Com informações do Portal Só Notícia Boa.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias