Domingo, 05 de Dezembro de 2021 15:07
61996377502
Notícias Educação

3 alternativas ao castigo

Você sabia que os castigos não são a única maneira do seu filho aprender uma lição?

22/10/2021 16h29
Por: Vítor Tobias
Créditos: Clia Psicologia
Créditos: Clia Psicologia

Os castigos para as crianças podem ter consequências negativas a longo prazo. Antes de pensar em punir, comunique-se com seu filho e tente encontrar uma solução que leve em consideração o bem-estar de vocês dois.

Na verdade, muitos psicólogos concordam que gritar ou bater só funciona a curto prazo, visto que isso não modifica o comportamento das crianças. Além disso, também afeta diretamente sua saúde emocional.

Você se lembra de como se sentia cada vez que sua mãe ou pai gritavam com você por não guardar os brinquedos? Ou as vezes em que você chorou quando foi reprimido do ponto de vista físico? É assim que seu filho se sente quando você o pune por meio de agressão verbal ou física.

Em relação a isso, uma publicação da Kids Health aponta que bebês e crianças pequenas não estabelecem uma relação direta entre seu comportamento e o castigo físico.

Portanto, entre as melhores alternativas de punição para corrigir comportamentos inadequados em crianças está a conversa.

Porém, em algumas ocasiões, isso não é suficiente e outras opções educacionais que vêm acompanhadas de reforço positivo devem ser levadas em consideração para que a criança possa entender porque ela está errada e mudar sua atitude.

A disciplina positiva é um método muito benéfico para o relacionamento entre pais e filhos, pois se baseia no afeto e no respeito mútuos.

Abaixo você descobrirá 5 alternativas ao castigo que o ajudarão a educar seu filho de uma forma mais pacífica.

Converse com seu filho e aborde o problema

Muitos pais acham difícil conversar com seus filhos sem terminar em uma discussão. Isso geralmente acontece quando as crianças precisam de ajuda, mas se recusam a conversar com os pais.

De acordo com uma publicação de Healthy Children, uma boa alternativa ao castigo é ouvir e deixá-los se comunicar. Não diga a ele que você sabe como ele se sente.

Muitas conversas terminam em discussão porque os pais intervêm cedo, quando o filho ainda não sente que ele deixou claro seu ponto de vista. Mesmo se você souber o que pode estar acontecendo na mente do seu filho, expresse curiosidade sobre o que ele está dizendo.

Dessa forma, ele se sentirá seguro e pronto para lhe contar o que está acontecendo. Assim que ele se abrir com vocês, vocês dois serão capazes de encontrar a solução para o problema.

Explique as consequências das ações dele

As palavras fazem a diferença. Dizer ao seu filho frases como “se você fizer isso, eu vou fazer você se arrepender” só vai fazer ele sentir medo de você e não o respeitar. Elas também não ensinam quais comportamentos ele precisa mudar.

O melhor é conversar com seu filho e fazê-lo entender que suas ações têm consequências que podem afetar as pessoas ao seu redor.

Você deve ser firme e direto, mas sem deixar a doçura de lado. Não se esqueça de parabenizar o seu filho quando ele se comportar bem, para que ele saiba qual é o caminho certo a seguir. Também tente recompensá-lo com tempo de entretenimento familiar. Você verá os bons resultados desta prática.

Saber quando ele não deve responder

Uma das alternativas ao castigo é aprender a ignorar o mau comportamento e permitir que eles aprendam as consequências de suas ações por si mesmos.

É claro que as situações que colocam o pequeno em perigo não podem ser ignoradas. Mas se você o vir jogando fora seus biscoitos, por exemplo, deixe-o ver por si mesmo que em breve não haverá mais nenhum para comer.

*Com informações do Portal Melhor com Saúde.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias