Domingo, 05 de Dezembro de 2021 14:35
61996377502
Notícias Variedades

5 atitudes transformadoras da cantora Marília Mendonça

Marília tinha o objetivo de engajar as mulheres por meio de suas canções

08/11/2021 13h28
Por: Vítor Tobias
Créditos: Reprodução/Instagram
Créditos: Reprodução/Instagram

Nas redes sociais, Marília Mendonça tem mais seguidores no Spotify do que os próprios Beatles – e acumula incríveis 40 milhões de seguidores no Instagram. Muito além dos números, a jovem de Cristianópolis (GO) mudou a face da música sertaneja, hoje a grande música popular do Brasil.

Mais: era de forma inconteste a artista mais reconhecida de toda a música sertaneja há alguns anos – e sempre usou essa fama a seu favor, incluindo a atuação em causas e ações sociais relevantes à população.

Separamos 4 momentos de pura solidariedade da Patroa e Rainha da Sofrência. Confira abaixo:

Fez shows e lives para ajudar vítimas da pandemia de Covid-19

Créditos: Reprodução/Youtube

Em abril do ano passado, quando a pandemia começou a ganhar força no Brasil e medidas de isolamento social foram decretadas pelo governo, Marília Mendonça organizou uma “live” no YouTube para engajar seus seguidores e arrecadar mantimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Cerca de 225 toneladas de alimentos e outros insumos foram levantados durante a transmissão, beneficiando diretamente dezenas de milhares de pessoas.

O show foi o primeiro de muitos feitos pela Patroa visando ajudar as populações carentes em parceria com a Mesa Brasil Sesc, uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome.

“Marília Mendonça, além de talentosa, tem responsabilidade social dobrada. Ajudou a proteger e alimentar quem está passando necessidade e ainda matar a fome de alegria de quem está longe das pessoas queridas. Foi importante que a sociedade se mobilizasse para realizar ações solidárias naquele momento. A pandemia está impactando a vida das pessoas de muitas formas”, disse o presidente do Sindicato Sindilegis, Petrus Elesbão.

Ajuda na crise do oxigênio em Manaus (AM)

Créditos: divulgação

Nos dias 14 e 15 de janeiro, Manaus vivenciou o colapso total do seu sistema de saúde em decorrência da falta de cilindros de oxigênio – essenciais para tratar casos graves de Covid-19.

Com a demora das autoridades em agir, artistas e personalidades se uniram para comprar – e distribuir rapidamente – dezenas de cilindros para possibilitar a continuidade do tratamento dos infectados.

Venda de jatinho particular para pagar salários de seus funcionários

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Marilia Mendonça (@mariliamendoncacantora)

Devido às regras rígidas de quarentena para frear o aumento de casos do novo coronavírus, o país ficou mais de um ano sem receber e realizar shows, prejudicando a classe artística.

Marília, por sua vez, ficou cerca de quinze meses sem fazer apresentações com público pagante – e nesse meio-tempo, se recusou a demitir sua equipe. Para manter o salário de todos os colaboradores em dia, ela vendeu seu jatinho particular e passou a utilizar voos fretados.

Doação de cestas básicas à população de rua de Goiânia (GO)

Créditos: divulgação

No final do ano passado, em meio ao desemprego recorde e relatos de famílias passando fome na capital goiana, estado natal da sertaneja, ela doou milhares de cestas básicas diretamente ao poder público para distribuição prioritária.

Na mesma época, em uma live no Instagram, convidou seus seguidores a doar também, o pouco que fosse, seja em alimentos ou contribuições financeiras.

Protagonismo da mulher em canções sertanejas

Créditos: divulgação

Em um gênero musical tradicionalmente dominado por homens, Marília Mendonça chegou como um foguete, colocando as mulheres como protagonistas das situações, como na faixa Supera, em que ela dá orientações “de mulher para mulher” sobre um relacionamento abusivo.

Ao jornal “O Globo”, a Patroa disse que “havia perdido” a conta de quantas mulheres entraram em seu camarim para revelar que abandonaram os maridos incentivadas pelo hit “Infiel”.

No entanto, ela frisou ao lado das amigas Maiara e Maraisa que “não faz música feminina” e que, pessoalmente, não curtem o termo “feminejo”.

“Não precisamos mais de um nicho. Estamos no ranking de igual para igual com os homens“, cravou a jovem.

Meses antes de sua morte, Marília Mendonça cantou a canção inédita “Você não manda em mim”, cuja letra aborda a violência contra a mulher.

*Com informações do portal Razões para Acreditar.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias