Domingo, 05 de Dezembro de 2021 14:59
61996377502
Meio Ambiente Adubo Natural

Tudo sobre compostagem

Essa é uma ótima forma de reduzir a quantidade de lixo orgânico que é descartado nos aterros

15/04/2021 08h30 Atualizada há 8 meses
Por: Vítor Tobias
Créditos: Banco de Imagens
Créditos: Banco de Imagens

A composteira nada mais é do que o lugar (ou a estrutura) próprio para o depósito e compostagem do material orgânico, onde o lixo orgânico será transformado em húmus.

Trata-se de um aparelho que pode assumir diversos formatos e tamanhos - isso depende do volume de matéria orgânica que é produzida e também do espaço livre disponível para sua alocação, mas todas têm a mesma finalidade.

Elas podem ser instaladas em casas e apartamentos e podemos encontrar tipos que contemplam, além da questão do tamanho, também a questão de preço e custo, sendo que, de qualquer forma, a compostagem caseira é uma ótima iniciativa.

Uma forma de acelerar a compostagem orgânica é por meio do uso de minhocas californianas (espécie Eisenia foetida mais indicada para o processo). Isso porque as minhocas digerem a matéria orgânica facilitando o trabalho dos micro-organismos. Esse tipo de compostagem recebe o nome de vermicompostagem ou compostagem com minhocas. 

Composteira automática

A compostagem também pode ser feita por meio da composteira automática, que envolve maior praticidade, pois a decomposição é mais rápida e, ao em vez de minhocas, utiliza-se poderosos micro-organismos patenteados (dentre eles, o Acidulo TM), capazes de se multiplicarem em altas temperaturas, alta salinidade e acidez. Com isso, é possível inserir alimentos ácidos, carne, ossos, espinhas de peixe, frutos do mar, ao contrário da compostagem com minhocas.

PASSO 1  – Torneira

Créditos: Loja das Abelhas/Divulgação

O primeiro passo é pegar a caixa com furo redondo na lateral e prender nela a torneirinha. É por ela que os resíduos líquidos da composteira (que também se tornam adubo) vão sair! É importante lembrar que essa caixa é a base da sua composteira, precisando apenas do furo lateral para o encaixe da torneirinha.

PASSO 2 – Rampa de salvamento

Créditos: Loja das Abelhas/Divulgação

Você pode fazer a sua composteira com ou sem minhocas. Elas são responsáveis por acelerar o processo de decomposição (especialmente as minhocas californianas). Sem as minhocas, uma composteira demora em torno de seis meses para gerar adubo orgânico, com elas o tempo cai pela metade.

Caso você opte pela ajuda destas pequeninas, crie uma rampa de salvamento na primeira caixa! Algumas vezes as minhocas escorregam pelos furinhos das outras caixas, ficando presas na base de sua composteira. A rampa faz com que elas possam voltar para onde estão as suas amigas, garantindo o adubo de suas plantas! Ela pode ser feita com um tijolo, caco de vaso de barro ou pedaço de telha.

PASSO 3 – Edificando a composteira

Créditos: Loja das Abelhas/Divulgação

Após construir a rampa, você acrescenta a segunda caixa (uma das com os pequenos furos no fundo). É só apoiar a caixa na base e misturar dentro dela substrato e um pouco de serragem. Caso você use as minhocas, elas entram nesse andar!

PASSO 4  – Onde o lixo vira adubo

 Créditos: Loja das Abelhas/Divulgação

É hora da última caixa! Você apoia a terceira caixa na do meio. Dentro dela acrescente um leito de substrato com um pouco de serragem, isto antes de entrarem os alimentos. Feita essa etapa, você adiciona os resíduos orgânicos, que serão transformados em comida para as plantas.

Quanto menores forem os resíduos mais fácil se torna a alimentação das minhocas, e, consequentemente, mais rápido o processo de transformá-los em adubo! Você pode picar os alimentos para ajudar as minhocas. Elas irão naturalmente migrar para a última prateleira, em busca de alimento. Farão isso repetidas vezes, possibilitando que em alguns meses você tenha adubo orgânico com aquele cheirinho de terra molhada!

Como os alimentos orgânicos contêm muita água em sua composição, você deve sempre cobrir com serragem a última caixa, para evitar as drosófilas (mosquinhas de fruta).

PASSO 5 – De volta à terra

 Créditos: Morada da Serra/Divulgação

Depois de alguns meses o adubo estará pronto e você já pode usá-lo para nutrir o seu jardim ou horta! Na parte de baixo da composteira, você vai encontrar o adubo líquido, que irá sair pela torneirinha. Esse líquido é muito concentrado, então calcule uma parte do adubo líquido para dez de água. Você pode utilizá-lo tanto na rega quanto borrifando as folhagens!

Cuidados especiais:

  • Não se deve colocar proteína e alimentos processados na composteira. Devido a sua composição eles podem atrair baratas e moscas.

  • A sua composteira deve ficar bem fechada e de preferência em um local de sua casa que tenha muita sombra.

  • Cuidado ao compostar hortaliças que têm furos ou sinais de bichinhos indesejados. Elas podem conter ovos e larvas de mosca.

  • A umidade deve ser um processo regulado. Para saber se há excesso de umidade você pode fazer um teste simples: É só apertar a mistura e verificar se há gotejamento de líquido. Se isso ocorrer, coloque mais material seco (folhas secas ou serragem).

  • Preste atenção no cheiro. O mau cheiro da composteira é indicativo de que há desequilíbrio no sistema, o que ocorre quando o lixo orgânico excede a capacidade de absorção do sistema. Dose a quantidade de lixo!

*Com informações do Portal ECycle.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias